Prefeitura Municipal de Caxias > Notícias > Saúde > Planificação garante dia e hora para atendimento a mulheres classificadas como “alto risco” na região de saúde Caxias

Representantes do Conselho Nacional de Secretários Municipais (CONASS) e das Secretarias de Saúde do Estado do Maranhão e de Caxias, estiveram reunidos no CEAMI (Centro de Especializado de Assistência Materno Infantil, na manhã da última terça-feira (18/07), dando sequência ao processo de tutoria, que visa implementar a Planificação na Rede Municipal de Saúde. Objetivo é fazer com que a atenção primária e ambulatorial trabalhem em rede, proporcionando um melhor atendimento , principalmente às mães que precisam passar pela classificação de risco.

As reuniões do grupo são mensais,  pois o trabalho visa também o cumprimento de metas para reduzir ao máximo a mortalidade infantil no município. A planificação implantada no município promove mudanças no plano de trabalho para melhor atender as pacientes.

“A planificação são mudanças nos processos de trabalho. Nós temos uma rede fragmentada e precisamos trabalhar em rede. A gente está com o processo de planificação primária desde o ano passado no município e na região de saúde de Caxias. A gente vem mudando alguns processos de trabalho em algumas unidades básicas do município e o foco da nossa tutoria é organizar a rede materno-infantil fazendo o alinhamento entre a Atenção Primária e Ambulatorial, que em nosso município é o CEAMI. A gente precisa garantir um atendimento de qualidade com resolutividade para crianças menores de dois anos e gestantes. O objetivo é organizar a rede, para que a gestante de alto risco tenha a garantia do atendimento com profissionais de várias especialidades, como: nutricionistas, assistente social, psicólogo e fisioterapeuta”, explica Rubenilson Luna, coordenador da Atenção Primária e Vigilância em Saúde.

O trabalho em rede vai começar a ser realizado a partir do dia 07 de agosto. Com isso, as mulheres classificadas pela Unidade Básica de Saúde como “alto risco”, e encaminhadas pela atenção primária, vão saber o dia e o horário que serão atendidas no CEAMI, onde serão assistidas por uma equipe multiprofissional. O acompanhamento de perto realizado pela equipe de tutoria, que também assiste os profissionais de São João do Sóter, Aldeias Altas, Coelho Neto, Duque Bacelar e Buriti de Inácia Vaz, quer tanto prestar um bom atendimento, humanizado, como também garantir que as mães sejam bem assistidas conforme os parâmetros do programa de planificação.

“Agora neste segundo ano de planificação, a gente está trazendo essa nova lógica que é a integração da Atenção Primária com o serviço especializado. A referência para a região vai ser o CEAMI. Não vai ser preciso a gestante vir atrás de uma consulta, ela já vem com a consulta garantida. Para isso, nós estamos fazendo tutoria tanto na Atenção Primária quanto Ambulatorial para começar a organizar esse serviço. Ou seja, a pessoa vai ser atendida numa nova lógica, que ela não vem para uma consulta, mas a pessoa vem para uma consulta compartilhada, porque além do obstetra, da gestante e do pediatra, ela vai receber toda uma atenção de uma equipe multiprofissional”, lembra Patrícia Veras, departamento de Atenção à Saúde da Família do Estado.

“O objetivo da planificação é apoiar o corpo técnico gerencial da Secretaria de Estado e dos Municípios, visando qualificar a assistência na atenção primária e na atenção especializada a nível hospitalar, para que haja uma integração. Esse processo teve início em 2016 com 8 oficinas teóricas com profissionais dos 7 municípios da região de Caxias. Foram 8 meses de oficinas. Paralelo a esse trabalho, ocorreram as oficinas de tutorias para se organizar os processos de trabalho, na lógica de um atendimento integrado, atenção primária e atenção especializada. Quando esse processo estiver estruturado aqui, vai ser estendido para toda a rede. Ou seja, os profissionais irão trabalhar com os protocolos clínicos e falar a mesma linguagem. O maior ganho é o bloco de horas, as pessoas não vem mais de manhã para marcar o atendimento. Ela vem marca o atendimento dela, o dia e a hora que o usuário pode ir à unidade, esse é um dos maiores avanços que a gente percebe”, confirma Ademilde Andrade, Facilitadora do CONASS.

Confira a reportagem: