Prefeitura Municipal de Caxias > Educação > EDUCAÇÃO – Mais de 6 milhões de refeições foram servidas na merenda escolar de Caxias em 2017

Desde o início da gestão em 2017, a alimentação escolar chega com regularidade a todas as 215 escolas do Município nas zonas urbana e rural, ligadas à Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia de Caxias.

“Graças a Deus conseguimos entregar em todas as escolas. Hoje nós temos uma merenda de muita qualidade. Fornecemos a parte industrializada, sendo 70% e 30% da agricultura familiar”, explica Ana Célia Damasceno, secretária municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (SEMECT).

Antes de chegar aos estudantes, a merenda escolar é degustada pela comunidade e órgãos de controle, com nutricionistas e integrantes da sociedade para a verificação da qualidade

“A gente faz uma degustação que é para justamente ter a comprovação do sensorial, do paladar, da aparência, então tudo isso é verificado e só após essa aprovação é que são adquiridos os produtos”, afirma Lícia Pinheiro, nutricionista da SEMECT.

Nas escolas o cardápio é variado, explica a diretora da Escola Hélio de Sousa Queiroz.

“Aqui a merenda faz toda a diferença, porque atende muitas crianças e adolescentes carentes. É uma merenda de boa qualidade. Seguimos um cardápio recomendado pela nutricionista da SEMECT. Todos os dias temos um cardápio diferente: temos frutas, melancia, banana, tem dia que é risoto de franco, uma sopa, então é um momento esperado deles”, frisa Francisca Rodrigues, gestora da escola Hélio Queiroz.

“A gente aprende mais, porque tem vários alimentos que servem pra gente ficar forte,  proteínas também é muito bom, eu acho legal”, diz Camila Vitória, aluna do 8º ano.

Já no Centro de Educação Infantil Marcelo Dino, no segundo lanche da manhã tem frango, arroz e melancia, sendo servidas duas refeições por turno.

“Aqui na escola nós oferecemos dois lanches, um quando eles chegam e outro já próximo deles retornarem para casa. A gente segue um cardápio preparado pela nutricionista da SEMECT, de acordo com a faixa etária da criança”, expõe Tatiany Macêdo, gestora do C.E.I Marcelo Dino.

Para a professora Adriana de Oliveira, a alimentação escolar ajuda no processo de ensino e aprendizagem.

“É importante à criança está bem alimentada, porque a criança tem mais ânimo, mais vigor, mais energia”, destaca Adriana de Oliveira, professora do C.E.I Marcelo Dino.

Em 2017, foram servidas mais de 6 milhões de refeições. Uma média de 69.379 refeições/dia. Em Creche – 1.146 alunos; Pré-Escola – 3684 alunos; Fundamental – 24.660 alunos; EJA – 1.720 alunos; AEE – 603 alunos; Programa Mais Educação – 17.150 alunos; Comunidades Quilombolas – 210 alunos.

“Considerando todas as modalidades, sendo que creche, pré-escola, comunidade quilombolas e o Programa Mais Educação, a gente serve duas refeições diárias”, lembra Lícia Pinheiro, nutricionista da SEMECT.

O resultado é mais qualidade no aprendizado.

“O fato é que ter uma alimentação escolar de qualidade faz o aluno produzir melhor, não tenho dúvidas que isso acontece. Isso é natural”, afirma Ana Célia Damasceno, secretária municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (SEMECT).

Veja na reportagem: