A Escola Emília Costa no bairro Salobro, foi a escola polo que recebeu nessa sexta-feira (28) estudantes de 5 a 11 anos com comorbidades, deficiência, indígenas e quilombolas, e crianças de 10 e 11 anos sem comorbidades. Na ocasião, também foram atendidos alunos das escolas: UIM José Castro, UIM Edson Lobão, UI Prof. Rita de Cássia e Esc. Com. Tia Edna. João Pedro e Keveli Lavine já estão imunizados, duas das mais de 900 crianças já vacinadas em Caxias (MA).

“É muito bom, porque nós vamos ficar protegidos do coronavírus”, disse João Pedro, aluno.

“Eu estou ansiosa para voltar para escola. É muito bom ir para escola, porque a gente aprende mais e vê os amigos”, disse Keveli Lavine, aluna.

As mães estão de olho na volta às aulas, pois querem os filhos vacinados quando tudo retornar.

“É uma segurança para as crianças e um avanço para a educação. Nós estávamos sendo professores em casa. Vai ser melhor para nós pais e para os alunos”, frisa Liana Damasceno, mãe.

“É importante essa vacinação, porque nos deixa menos preocupados, pois temos que nos proteger e proteger os nossos filhos”, frisa Valdeane Machado, mãe.

A Campanha de Vacinação Infantil contra a covid-19 continua acontecendo nas escolas polos do município. Nesta segunda-feira (31), das 8h às 12h e das 14h às 17h, a vacinação será na UEM São Francisco, que irá atender alunos de outras escolas também: Escola São Raimundo; Esc. Com. Nossa Senhora das Graças; UIM Coelho Neto; UIM Santa Catarina de Labouré.

“Todos precisam tomar a vacina, pedimos os pais que levem seus filhos. Dentro do Cronograma, a escola polo para a vacinação das escolas privadas será a Escola São José, no dia 4 de fevereiro. Alunos de escolas particulares podem procurar qualquer escola pública para vacinar”, destaca Joselma Lopes, coordenadora do Programa Saúde na Escola (PSE).

A ação é desenvolvida por meio de parceria entre a Secretaria Municipal de Saúde e a Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (SEMECT), por meio do Programa Saúde na Escola (PSE). Para ser vacinado é necessário que o menor esteja acompanhado dos pais ou responsável, apresentar certidão de nascimento ou documento oficial com foto, caderneta de vacinação, CPF ou cartão do SUS. Para crianças com comorbidades é necessário apresentar um comprovante da doença, podendo ser: receitas médicas, exames, atestados ou laudos médicos.

Além disso, crianças com sintomas gripais devem aguardar 4 semanas após os sintomas para receber a vacina contra a covid-19.